Product Discovery: por que é essencial para o sucesso de um produto?

Publicado em 05 de setembro de 2017 às 11:35

Você sabe como nasce um novo serviço ou um novo produto? As decisões sobre um produto devem vir de um único líder como um sócio, um diretor de um departamento ou um gerente de projetos? As pessoas do time de desenvolvimento podem participar das ideias? Os clientes devem ser incluídos no processo de criação?

Cada empresa tem seu próprio método de desenvolvimento e segue aquilo que acredita ser mais eficaz, mas o fato é que temos nos deparado mais frequentemente com situações em que o produto, especialmente o digital, tem falhado em agradar o mercado e, principalmente, tem falhado em ser útil ao público para o qual ele é destinado.

Por que isso acontece cada vez mais? Porque hoje os consumidores querem e podem optar pelo produto que foi desenvolvido considerando suas demandas, a inclusão de suas ideias e seu feedback para melhorias.  E se você não for rápido em perceber essa necessidade de seus clientes, algum concorrente, não importa se ele é uma grande corporação ou uma startup que está começando, vai atrair o seu público, passar na sua frente e deixá-lo a ver navios.


Não é raro encontrar em grandes empresas, times que ainda trabalham priorizando uma lista de especificações gerada com base apenas em suposições de que são experts em determinado segmento, que conhecem o público alvo ou de que estão absolutamente certos daquilo que estão fazendo. É claro que o valor da experiência de uma empresa em relação a seus clientes não deve ser minimizado, mas essas hipóteses sem base científica tem falhado cada vez mais. E essas falhas geralmente se encontram em torno do maior fator de imprevisibilidade: o ser humano.


E você pode estar se perguntando: Qual é então a melhor maneira de criar uma lista de features para o seu produto? Como medir o que é prioridade? Como classificar o que deve ser construído primeiro? Qual a importância do usuários nesse processo? Em qual tempo o produto deve ser desenvolvido e lançado no mercado?


O conceito de MVP, que falamos tantas vezes aqui no blog é importante, mas não podemos esquecer que o produto, além de viável, tem que ser desejado pelo mercado que irá consumi-lo.


A melhor maneira de prever isso? Product Discovery, ou descoberta do produto. Esse processo é essencial para fazer com que um novo produto lançado no mercado seja não só usável (fácil de usar, com design agradável), mas principalmente útil (tenha um propósito real de existir e um público que precisa dele).


Nesse  processo de descoberta do produto, é essencial entender profundamente o contexto dos clientes, entrevistá-los, observá-los, incluí-los ativamente no processo de design. Para isso, uma série de artefatos característicos do Product Discovery podem ajudar nessa compreensão profunda das necessidades dos clientes.

book2

Artefatos do Product Discovery

 

Os artefatos do processo de Product Discovery  podem variar de acordo com o projeto. O que temos feito, na Just, é criar um book do projeto, que documenta os detalhes do projeto desde quando este é idealizado pelo time de desenvolvimento, até sua morte e reconstrução, consideração e opinião daqueles que realmente utilizarão o produto. Veja  abaixo uma lista de artefatos que utilizamos na criação desse documento.


Obtuário

Para construir um bom produto, muitas vezes é necessário desconstruí-lo. Por esse motivo, nós começamos nosso processo de Product Discovery “matando” as certezas que tínhamos a respeito do projeto e nos perguntando o que realmente esperamos do produto que será desenvolvido. Nesse processo, normalmente a equipe do produto percebe que muitas ideias precisam ser repensadas, que o que era certo não é tão certo assim, que não se sabe tão bem o que o usuário espera. Não é um processo fácil de digerir pela impressão de retrabalho que pode passar, mas certamente é um valioso estudo que vai garantir que do produto não seja aquilo que o sócio ou o gerente de projetos quer, mas aquilo que o usuário precisa.


Elevator Pitch

Parece exagero, mas muitos times que desenvolvem produtos não conseguem definir o que é o produto que estão desenvolvendo. Por isso, a importância de fazer o elevator pitch, que nada mais é que a definição, curta, em uma sentença daquilo que será desenvolvido.


 

É não é, Faz não Faz

É uma atividade para fazer definir exatamente o que o nome diz. O que o produto é e não é, o que ele faz e não faz. Assim como o elevator pitch, o é não é, faz não faz, vai ajudar a clarificar a estratégia de DevOps.

book3

Personas

As personas devem representar perfis de clientes, levando em consideração seu estilo de vida, sua relação com a tecnologia, seus principais problemas, anseios, etc. Quanto mais rica e detalhada for a construção das personas, maiores são as chances de prever o comportamento de seus usuários.

book3.5

Mapa de Atributos

O mapa de atributos tem como objetivo pontuar aquilo que é mais importante para o usuário, construindo assim  uma vantagem competitiva contínua para o produto.

book4.5

Entrevista com Usuários

Uma técnica de pesquisa utilizada individualmente com usuários para coletar informações qualitativas a respeito de um produto ou serviço.


Focus Group

Entrevistas conduzidas com um grupo de usuários, para descobrir percepções, opiniões, crenças e atitudes em relação a um produto ou serviço.


Style Guide

Um manual de padrões de texto e design para ser usado no desenvolvimento estético do produto.

book6

 

Além de utilizar artefatos para gerar uma compreensão profunda do cliente, é preciso  compartilhar esse conhecimento com todo o time de desenvolvimento em vez de deixá-lo somente na área de negócios, pois só assim as ideias que surgirem para o novo produto estarão mais longe do pensamento individual e mais próximas do pensamento do cliente.


É preciso também garantir que o produto não seja desenvolvido a todo vapor, mas em pequenas partes que possam ser testadas para saber se as ideias valem a pena, reduzindo assim o desperdício e o retrabalho.

 

O problema de desenvolver sem testar é que ninguém quer abandonar as ideias mesmo que elas se provem falhas. É muito difícil para um time assumir que é hora de abandonar o barco.
 

Portanto, nem pense duas vezes em investir tempo e esforço na fase de planejamento e descoberta do produto. Uma estratégia que parece definida pode ganhar novos ares ou até mesmo ser completamente descartada quando todos esses métodos de Product Discovery forem finalizados. Em troca, seu produto ganhará uma possibilidade muito maior de ser aceito pelo mercado.