MVP: entenda as principais vantagens ao utilizá-lo

Publicado em 26 de abril de 2017 às 09:38

mvp-entenda-as-principais-vantagens-ao-utilizalo.jpegUm MVP é um versão simplificada de um produto final feita com o mínimo de recursos necessários para testar a sua viabilidade no mercado. A sigla vem do inglês  Minimum Viable Product e pode ser traduzida livremente como produto mínimo viável.

O termo criado pelo empresário e empreendedor Frank Robinson foi popularizado no livro ‘A Startup Enxuta’, do autor e empreendedor Eric Ries.

Apesar de mínimo, um MVP é uma forma de gerar valor e validar as premissas essenciais de um negócio. Neste artigo, explicamos algumas das vantagens de desenvolver um MVP.

Validação de hipóteses

A principal função de um MVP é a validação de hipóteses e apostas de mercado. Mesmo quando o escopo do produto é construído a partir de dados e métricas relevantes ao negócio, os impactos e resultados só podem ser confirmados depois de serem validados empiricamente.

Portanto, a razão mais importante para fazer um MVP é verificar se o produto atende o propósito imaginado pelos empreendedores e realizar as adaptações necessárias que possam surgir nesta fase de testes.

Essa validação é feita em uma escala menor e com um investimento bem reduzido em relação ao que seria o produto completo, o que também é importante para mitigar os riscos do projeto.

Experimentação e aprendizado

O lançamento do MVP simboliza o primeiro choque do produto com o mercado real. E é inevitável que ele se transforme se sobreviver ao impacto. Com o MVP, os empreendedores vão compreender o que dá certo e o que dá errado no seu negócio.

A resposta do mercado pode dar lições duras em alguns momentos, mas faz parte do aprendizado — os melhores empreendedores são aqueles que sabem absorver esse feedback e transformar em valor para sua startup.

É muito mais fácil alterar o escopo de um projeto quando ele ainda está começando. Um MVP é uma oportunidade de enxergar essas mudanças o mais cedo possível e adaptar o projeto, de forma que ele alcance seu propósito final.

Geração de valor acelerada

Um MVP não é necessariamente um protótipo, mas normalmente não terá tudo que foi sonhado para o produto final. Ainda assim, é fundamental que ele tenha as principais funcionalidades escopadas — afinal, só assim é possível testar a ideia na prática.

E para entender o que é o mais importante no produto, é necessário ser capaz de priorizar o que vai trazer mais valor com o mínimo de investimento possível. Logo, um MVP é também uma forma da startup entregar valor rápido, um dos princípios do desenvolvimento Lean de software.

A tendência é que o produto lançado já tenha a maior parte do valor do produto final, mas em uma escala menor. Ainda assim, já é o bastante para investidores e empreendedores enxergarem o seu potencial.

Avaliar a escalabilidade do produto

É muito importante que o produto de uma startup seja escalável: ou seja, que consiga começar pequeno e multiplicar seu retorno de forma proporcional ao que é investido nele.

Criar um MVP é então uma forma de começar pequeno com pouco investimento e muito valor. Mas também serve para testar e avaliar se esse modelo será replicável e escalável, à medida que o investimento nele aumenta.

Agora que você já sabe as vantagens em adotar um MVP, aproveite para ler mais sobre o assunto!