Inovação pode ser incremental ou disruptiva, saiba a diferença!

Publicado em 27 de setembro de 2018 às 09:21

inovação

Se você está pesquisando sobre inovação, veio ao lugar certo. Estamos sempre falando sobre esse tema aqui no blog, mas você sabia que existe mais de um tipo de inovação e que é bom observar isso antes de planejar como implementá-la em sua empresa?

A inovação pode ser incremental ou disruptiva e enquanto uma foca em custo e melhorias contínuas, a outra rompe paradigmas introduzindo novos produtos ou modelos de negócios, promovendo uma mudança drástica no mercado!

Como saber que tipo de inovação sua empresa está criando?

Inovação Incremental
A ideia principal da inovação incremental é fazer pequenas mudanças em produtos e serviços em vez de apostar em estratégias mais audaciosas e também mais arriscadas. Esse método, muito utilizado no design centrado no usuário,  pode ser realizado tanto por grandes corporações, quanto por startups, mas é normalmente mais visto em grandes empresas. 

A inovação incremental tem objetivos como aumentar as vendas e o lucro de produtos e serviços existentes e criar novas formas de negócio, sem acabar com o modelo existente. Um exemplo de inovação incremental é a feita pela Coca-Cola. Todos os anos, eles estão lá como o mesmo produto, mas sempre tem uma novidade em termos de novos sabores e opções com menos calorias ou adoçantes diferentes, etc.

O impacto deste tipo de inovação é significativo para a empresa e permite uma vantagem de médio e longo prazo dentro do mercado que atua. 

Inovação Disruptiva
Ao contrário da inovação incremental, a inovação disruptiva é um processo mais arriscado e complexo. Quem está buscando esse tipo de inovação quer quebrar paradigmas e criar um novo mercado.

Normalmente, as empresas que conseguem êxito nesse tipo de inovação são aquelas focadas em novas tecnologias, e as vantagens de abrir um mercado novo é não ter concorrência e obter um grande lucro num primeiro momento. 

Um exemplo muito citado de inovação disruptiva é o Uber, que transformou o mercado de Taxi da noite para o dia, forçando o modelo de negócio existente a implementar melhorias para continuar competindo.

Outro exemplo, é a máquina fotográfica digital, que causou uma transformação tão grande que praticamente acabou com o mercado analógico.

É importante lembrar, no entanto, que nem todo produto revolucionário é disruptivo, isso só ocorre quando causa modificações reais no mercado!

Qual o melhor caminho para a sua empresa?

Isso depende dos objetivos. Se o foco é melhorar frente à concorrência e aumentar o lucro, a inovação incremental oferece um passo mais estável, mas que também pode ser perigoso em mercados propícios para o surgimento de disrupções, como o tecnológico. 

Por outro lado, uma inovação disruptiva deve ser encarada por aqueles que almejam seus benefícios, mas também entendem riscos de trazer uma nova tecnologia para o mercado!

Se você gostou desse conteúdo, se inscreva para receber outros artigos sobre esse e outros assuntos ligados à transformação digital.