Geração de receita: quais os modelos e como assegurar que é eficaz na empresa?

Publicado em 28 de julho de 2017 às 17:30

105023-geracao-de-receita-quais-os-modelos-e-como-assegurar-que-e-eficaz-na-empresa

As novas mídias já estão aí há algum tempo, mas ainda há quem não sabia muito bem como ganhar dinheiro oferecendo produtos e serviços nesse ambiente. Não à toa, já que essa não é uma tarefa simples — a oferta online é gigantesca e fazer uma URL se diferenciar a ponto de gerar receita pode levar tempo.

Além disso, o modelo ideal de geração de receita pode variar e, em geral, muda várias vezes durante a vida da empresa. Todo negócio precisa ganhar dinheiro para sobreviver e o modelo de receita adotado pode decidir o sucesso ou o fracasso da companhia.

Taxa de conversão

A geração de receita passa, necessariamente, pela taxa de conversão (TC) — já que, normalmente, conversão é sinônimo de vendas. Trata-se de uma informação fundamental para acompanhar os resultados do negócio. Com ela é possível monitorar o desempenho da empresa e os resultados obtidos.

A TC é mais do que o número de vendas, cliques ou cadastros. Ela é o resultado da divisão do número de pedidos pelo número de visitas multiplicado por cem. Não existe uma TC ideal padrão: ela varia de acordo com a meta da empresa e está intimamente ligada ao valor oferecido.

Modelos de receita

Para garantir a geração de receita, as opções vão do simples ao complexo. Conheça, a seguir, algumas alternativas para encontrar o melhor caminho para que um produto seja bem-sucedido e remunerado.

Comunidade

Mais do que simples observadores, integrantes de uma comunidade compartilham valores e têm profundo interesse em um determinado produto ou serviço. Este modelo não sofre com a sazonalidade, o que faz diferença na geração de receita.

Adesão

Oferecer diferentes níveis de adesão ajuda a transformar um produto ou serviço em algo muito mais valioso. Acesso, privilégios e oportunidades de interação o transformam em algo como um clube exclusivo.

Assinatura

Neste modelo, os clientes pagam um valor fixo e recorrente (mensal, geralmente) pelo uso de um produto ou serviço. É bastante comum em empresas com modelo de negócio do tipo Software as a Service (SaaS) e deve ter uma taxa de assinatura mais elevada do que a de cancelamento.

Publicidade

A veiculação de publicidade permite acesso gratuito a um produto ou serviço enquanto os anunciantes mantêm o negócio funcionando. É uma forma simples e fácil de implementar um modelo de receita, mas pode requerer muitas visitas para ser lucrativo — sem contar que muitos usuários acham anúncios irritantes.

Patrocínio

Patrocinadores têm oportunidades muito mais interessantes que anunciantes. Eles podem, por exemplo, interagir com a comunidade formada no site — um público bem mais selecionado.

Eventos

Os integrantes da comunidade online desejam se encontrar presencialmente para se conectar e conhecer pessoas que compartilham dos mesmos interesses e valores. Além disso, patrocinadores interessados em se conectar com eles estão dispostos a pagar pelo direito de participar dos eventos.

Venda direta

É um dos modelos mais usados em sites de e-commerce e pela maioria dos negócios offline.

Comissionamento

A venda de produtos ou serviços de parceiros pode ser feita em troca de uma comissão — uma porcentagem do valor da transação ou um valor fixo definido previamente.

Freemium

É usado quando o produto ou serviço tem uma versão gratuita, com recursos limitados, e uma opção paga com benefícios ou vantagens adicionais (como recursos extras, maior capacidade, mais funcionalidades e outros) que justificam a cobrança.

Pagamento por uso

É um modelo em que o consumidor paga apenas pelo uso do produto ou serviço.

Vídeo

Um produto ou serviço pode atrair interessados para seu canal no YouTube. Assim, pode negociar com patrocinadores e até conseguir receita do próprio YouTube pelas visitas.

Modelo ideal

Esses são alguns dos modelos em uso atualmente, mas não esgotam as possibilidades. Criar uma opção inovadora pode ser um diferencial perante a concorrência. É possível, ainda, usar vários modelos em conjunto.

A opção ideal é aquela que, além de tornar a empresa rentável, é adequada às necessidades e aos desejos do consumidor. É importante, portanto, que seja validada com clientes reais. Assim, pode-se testar mais de uma hipótese de geração receita — ou descobrir uma nova.

Gostou deste post? Então assine nossa newsletter e seja sempre o primeiro a saber das novidades!